Ir para o conteúdo


Crises política e financeira, escândalos de corrupção e aumento da violência. A este turbilhão de acontecimentos, adicione, ainda, o constante e crescente corte de profissionais nos mais diversos veículos de comunicação, como emissoras de TV, jornais e sites. Neste cenário, o espaço destinado a reportagens sobre ciência, saúde e tecnologia torna-se cada vez mais escasso. No entanto, mesmo com toda a dificuldade, a imprensa permanece como importante aliada para a divulgação e popularização da ciência. Para debater tais desafios, a especialização em Divulgação e Popularização da Ciência promoveu o seminário ‘Os veículos de comunicação de massa como potencializadores da divulgação científica’ no dia 7 de agosto.

Há mais de 15 anos em contato diário com a imprensa, o médico e comentarista de saúde da TV Globo, Globo News e Rádio CBN, Luis Fernando Correia, ministrou a palestra ‘Quando a ciência e a saúde viram notícia’, buscando abordar o papel da TV e do rádio na difusão da ciência. Pesquisador do Museu Nacional e médico, Murilo Quintans Bastos apresentou um projeto de divulgação científica sobre bioarqueologia que tem atraído a atenção de jovens e adultos desde 2007; o 'Ciência até os ossos' foi o ponto de partida para o especialista, que abordou as ‘Estratégias, oportunidades e dificuldades para a popularização da ciência no Brasil’.

Editora assistente de Saúde do Jornal Extra, Flávia Junqueira foi a terceira profissional a compor o time de palestrantes. Com o tema ‘Ciência e saúde para todos: a importância do jornalismo científico popular’, a jornalista explicou como é o fluxo de recebimento de artigos científicos, os temas mais lidos pelo público e contou como é possível converter o ‘cientifiquês’ em uma matéria de jornal. Já o físico e chefe do Laboratório de Imunofisiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Robson Coutinho Silva dialogou sobre ‘A divulgação científica no cotidiano da população: como e por que divulgar’. À frente do museu de ciências Espaço Ciência Viva, na zona norte do Rio, Robson comentou como as atividades são divulgadas e a importância dos meios de comunicação nesse processo, especialmente a internet. Russian Girls Live Here you can see the list of Russian girls who show their naked bodies and masturbate for you online! Click on the thumb to watch live

Atualizado em 9/8/2017

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 2590-6747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm Nova Rio conheça