Ir para o conteúdo

Retrato de Amália Taborda de Bulhões Cruz 
Autor: João Batista da Costa
Material: óleo sobre tela
Local: Brasil - década de 1910
Dimensões: 96 x 83 cm (com moldura)

A senhora que descansa na cadeira de vime, em sua varanda, chama-se Amália Taborda de Bulhões Cruz (1851-1922). Ela foi mãe de Oswaldo Cruz e a primeira professora do médico sanitarista. A vocação para o ensino se deu pela influência dos pais Pedro Taborda de Bulhões e Zeferina Josefa Pinto Magalhães, que lecionavam em Petrópolis, na serra fluminense. 

Amália teve duas irmãs, Luiza e Hortência (esta, apelidada de “Zizinha”). O pai das moças era contra o casamento das filhas: ele alegava não querer que elas se distanciassem da família. Ao contrário das irmãs, que fizeram a vontade do pai, Amália casou-se, em 1871, com Bento Gonçalves Cruz, primo que era formado em medicina. 

O jovem casal foi morar em São Luiz do Paraitinga, cidade do interior de São Paulo, onde tiveram Oswaldo, seu filho mais velho. Depois, tiveram cinco filhas: Eugênia, Amália, Alice, Noemi e Hortência.  

Família reunida na residência dos pais de Emília da Fonseca, esposa de Oswaldo Cruz, no Vidigal, Rio de Janeiro. Na fila do meio, da direita para a esquerda, observa-se Amália, tendo no colo o neto Bento, filho de Oswaldo Cruz e Emília. Imagem: Departamento de Arquivo e Documentação – Casa de Oswaldo Cruz / Fiocruz

O autor do retrato, o pintor fluminense João Batista da Costa (1865-1926), era genro de Amália. Ele casou-se com sua filha Noemi Gonçalves Cruz em 1905. Em virtude do matrimônio, realizou vários retratos de membros da família Gonçalves Cruz.

João Batista da Costa dedicou grande parte de seu trabalho à paisagem brasileira. Na Academia Imperial de Belas Artes, foi aprendiz de importantes artistas da época, como Zeferino da Costa e Rodolfo Amoedo. Em 1894, participou da primeira Exposição Geral de Belas Artes e, como prêmio, ganhou uma viagem de estudos à Europa. Ao retornar ao Brasil recebeu várias premiações pela renomada Escola Nacional de Belas Artes. Foi convidado para coordenar o curso de pintura na instituição e foi seu diretor no período de 1915 a 1926, em substituição a Rodolfo Bernadelli.

Para saber mais:

AMÁLIA TABORDA. Verbete. Projeto Memória. Disponível em: <http://www.projetomemoria.art.br/OswaldoCruz/verbetes/amalia_taborda.html> Acesso: dez. 2018.

FIOCRUZ. Casa de Oswaldo Cruz. Oswaldo Cruz: o médico do Brasil. Brasília: Fundação Banco do Brasil, 2003.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

funcionamento terça a sexta-feira: 9-16h30, sábados: 10h-16h

agendamento de visitas 55 21 2590-6747

Fiocruz, Av. Brasil, 4365 - Manguinhos, Rio de Janeiro| CEP: 21040-900

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

museudavida@fiocruz.br

Assessoria de imprensa: divulgacao@coc.fiocruz.br.

O Museu da Vida faz parte de:

abcmc astc redpop ecsite icom

Amigos do Museu da Vida: uma rede de Saúde, ciência e cultura

patrocínio master

ibm Nova Rio conheça