Ir para o conteúdo
Acervo Museu da Vida - Fiocruz. Créditos: Flávia Braga

No mês de dezembro, é comemorado o Dia Internacional de Cobertura Universal de  Saúde. Esta data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para destacar a importância de sistemas de saúde fortes, que possam garantir o acesso igualitário à saúde na prevenção, tratamento e cuidados de qualidade. 

A distribuição gratuita de medicamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é a esperança de sobrevivência para muitas pessoas no Brasil. Nesta data que marca a luta de instituições que trabalham para promover e garantir o acesso a tratamentos de saúde, vamos conhecer o sulfato ferroso, item que faz parte do acervo do Museu da Vida Fiocruz.

 

Tratamento da anemia

O sulfato ferroso é um medicamento destinado a tratamento e prevenção de anemias por deficiência de ferro. Embora a anemia seja muito associada a crianças, este tipo atinge um grupo muito grande de pessoas. A anemia ferropênica ou ferropriva decorre de privação alimentar, grande perda de sangue (hemorragia)ou interferência na absorção de ferro em crianças, jovens, adultos e gestantes.

O ferro é vital ao organismo, sendo indispensável à produção de hemoglobina, proteína presente nos nossos glóbulos vermelhos, e que atua no transporte de oxigênio pelo corpo. É, portanto, um elemento essencial para o metabolismo e para o crescimento celular.

 

Produção em Manguinhos

Produção dos comprimidos de sulfato ferroso nos anos 1980, primeiro fármaco produzido por Farmanguinhos. Acervo: Departamento de Arquivo e Documentação – COC/Fiocruz

O sulfato ferroso foi o primeiro medicamento a ser produzido pelo Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz, criada em 1976 com o objetivo de auxiliar a implementação de políticas farmacêuticas no país.

Durante muitos anos, o sulfato ferroso foi produzido na fábrica situada em Manguinhos.Durante os anos 1990, a unidade foi complexificada e ampliada. Além do medicamento, sua linha de produção passou a ser dividida na fabricação de pomadas, cremes e comprimidos usados no combate de doenças como anemia, hanseníase, câncer, doenças mentais, cólera, dermatites e o primeiro antirretroviral para o controle do HIV.
 

Primeiros produtos desenvolvidos por Farmanguinhos na década de 1980. Departamento de Arquivo e Documentação – COC/Fiocruz

Farmanguinhos atualmente desenvolve pesquisas, produz medicamentos e é um dos principais atores na nacionalização da tecnologia de medicamentos estratégicos para o SUS, como a distribuição de antirretrovirais, oncológicos, imunossupressores, antiasmáticos, dentre outros. 

 

Informações técnicas do Objeto:
Materiais: comprimidos, plástico, metal, papel
Fabricante: Farmanguinhos
Origem: Rio de Janeiro
Data: [1990]

 

Bibliografia e fontes: 

CASA DE OSWALDO CRUZ. Departamento de Arquivo e Documentação. Fundo Farmanguinhos. Disponível aqui

FARMANGUINHOS. História – 1976 a 1989. Disponível aqui

 

Créditos:

Objeto em Foco é um produto de divulgação do acervo museológico sob a coordenação de Inês Santos Nogueira e Pedro Paulo Soares
Serviço de Museologia - Museu da Vida Fiocruz

Publicado em 26 de dezembro de 2022.

Link para o site Invivo
link para o site do explorador mirim
link para o site brasiliana

Funcionamento:  de terça a sexta, das 10h às 16h.

Fiocruz: Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro. CEP: 21040-900

Contato: museudavida@fiocruz.br | (21) 3865-2128

Assessoria de imprensa: divulgacao@fiocruz.br

Copyright © Museu da vida | Casa de Oswaldo Cruz | Fiocruz

conheça